Facebook censura ministério cristão por promover ‘terapia de conversão’ – Rádio Vida Plena – A palavra de Deus na palma de sua mão

Facebook censura ministério cristão por promover ‘terapia de conversão’

ESTADOS UNIDOS – O Facebook está começando a censurar um ministério cristão por supostamente promover “terapia de conversão”, removendo postagens de homens e mulheres que já foram identificados como LGBT e agora seguem Jesus.

Anne Paulk, presidente da Restored Hope Network (Rede Esperança Restaurada, em tradução livre), nos EUA, explicou como, a pedido do aparente grupo de controle da mídia liberal Media Matters, o gigante da mídia social está retirando os posts de sua conferência mais recente, dizendo que viola “os padrões da comunidade.”

“Acho irônico que o Facebook esteja chamando o discurso que diz que as necessidades relacionais têm respostas relacionais de ‘discurso de ódio’, quando a American Family Association (Associação da Família Americana, em tradução livre) literalmente tinha ameaças de morte contra eles no Facebook, eles o denunciaram e o Facebook considerou que não era discurso de ódio. E, no entanto, a pessoa foi presa por violar os padrões. “Acho isso profundamente preocupante em relação à liberdade de expressão em todo o mundo na maior plataforma existente nas mídias sociais com 2 bilhões de usuários. Eles estão tentando desligar as vozes com as quais simplesmente discordam”.

Paulk acredita que o intenso esforço para interromper as perspectivas sobre sexualidade e questões de gênero com as quais eles discordam decorre da incapacidade de argumentar por seus próprios pontos de vista. “Acho que eles têm uma resposta emocional e não lógica ou racional ao que está acontecendo, e existe essencialmente uma fé que eles atribuíram. Eles não podem tolerar isso porque não têm como se defender, eu acredito.”

Ela aconselha outros ministérios com ideias semelhantes que usam a plataforma para mover seus pontos de contato para um banco de dados separado e garantir que as pessoas tenham uma maneira de se conectar fora do Facebook. A Restored Hope Network (RHN, sigla em inglês) publicou em seu site uma chamada, pedindo aos apoiadores que resistissem ao crescente silenciamento de vozes que expressam uma ética sexual cristã histórica. “‘Terapia de conversão’ é geralmente descrita como uso de força, abuso ou terapia aversiva. Elas não são praticadas pela Restored Hope Network ou por qualquer um dos nossos ministérios membros, conselheiros e igrejas. Conselheiros legítimos e licenciados também não usam essas técnicas. Rumores de tais técnicas que ocorrem hoje são absurdas”, diz o apelo à ação.

Paulk disse que “muitas pessoas estão sendo afetadas pelas decisões do Facebook ultimamente que atingem os conservadores, questões de privacidade, entre outras coisas, ocorrendo por um longo tempo. Mas agora elas estão chegando a um ponto mais importante. Elas estão tomando decisões que estão afastando muitas pessoas”. “Existe um totalitarismo, uma censura à liberdade de expressão. E aqui eles afirmam valorizá-lo e, no entanto, estão fechando certas visões de qualquer lugar do espectro político”.

Ela acrescentou que tem muitos membros da família que não são conservadores nem cristãos, mas se valorizam e são capazes de falar sobre assuntos delicados. “E acabamos dizendo o quanto nos amamos, apesar de discordar. Qual é o problema com isso? Eu apostaria que no Facebook há uma variedade de visualizações e que nem todos concordam com esse movimento que estão fazendo”.

O gigante da mídia social anunciou no início deste mês que restringiria o conteúdo que promove o que é conhecido como “terapia de conversão”.

Os opositores do ministério construíram uma imagem falsa de pessoas que lutam contra desejos do mesmo sexo ou de identidade de gênero como sendo reivindicações não verificadas de abuso que deveriam ter sido processadas ou examinadas por comitês de ética ou leis criminais. “Mas não é permitido que as investigações ocorram quando você simplesmente tem testemunhos que existem por aí, com afirmações estranhas. E, no entanto, eles não podem ser investigados para descobrir qual é a verdade. E assim, no júri da opinião pública, como pode você chegar a não pensar no que eles estão dizendo? Eles não estão permitindo que esses pensamentos sejam examinados.”

*Com informações de The Christian Post

Mostre mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close